sábado, 30 de novembro de 2013

O CARNAVAL DE DENTRO DA GENTE

É preciso hibernar as palavras
e gerir uma síntese de si mesmo.

Às vezes, o carnaval de vocábulos
é o suficiente para refazer o 
marasmo de dentro da gente.

Tanto som, semi-conversas,
convenções e manipulações,
é rarefeito, 
e desfeito nos corações.

Maldita rima que nos obriga
a dançar essa valsa perdida chamada de vida
subvivida com olhos amargurados 
levando nos ombros e na mente 
toda essa delícia renunciada 
que nos impuseram 
sem opção
de 
ser ou estar.

terça-feira, 9 de julho de 2013

O tempo é o carrasco da mente

Quem nos dera vagarosamente

não ser engolido pelo dia

e nem pelo passar da noite.

O tempo é o asco in-coerente.

O poema?

O poema eu não decoro!

Eu devoooooro!
Vida pulsante..
vontade de chorar de alegria..

Tudo se ajeita..
o Universo me ajeita...
todo sofrimento 
transformado numa noite 
na mais deliciosa poesia.
Vida pulsante..
vontade de chorar de alegria..

Tudo se ajeita..
o Universo me ajeita...
todo sofrimento 
transformado numa noite 
na mais deliciosa poesia.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

1º de abril

Mentir é imperativo.


Rasgar o verbo 

é ser transparente,

Palavras de pernas 

curtas hoje o povo consente.

Verdade é desatino.



domingo, 31 de março de 2013

Peço apenas uma dose de loucura 

e um quarto de sanidade.

Quero me entorpecer com ternura rara.

Quero sentir a pureza na cara.

Quero mesmo é a outra face da felicidade.

POPAMENTE POP

O Papa é pop!

Gooool da Argentina!

O Papa é pop!

Gooool da Ostentação!

O Papa é pop!

Mira minha cara de "eu com isso".

Mais um desatino.

Gooool!

Eis o centroavante que 

retrocede para limpar

o litúrgico lixão.



a Inteligência 

é 

Ilusão.

a Burrice 

Não.

Filosofia de Ônibus

Toda bunda ao teu lado é incapaz de ocupar apenas um lugar.

Não importa seu fone de ouvido, sempre haverá um som funkeiro ser ouvido.

A passagem sobe conforme a lavagem.

Todo tráfego é bom até que você esteja nele.

Ler é um ato de estranheza.

Todo assento vazio não é seu nem por uma fração de pensamento.

A virtude do prazo de validade do desodorante alheio é assunto irrespirável.

Moedas caída não está em pauta.

Fumar é para heróis, os mortais apenas respiram.

Não esqueça que esqueceram seu cinto.

A humanidade geme das 5h às 18h.

Andar de ônibus é antes de tudo um ato de fé.